Bahia na Política por Jair Onofre
 
 

 
 
 

Você votaria nos parlamentares atuais em uma reeleição em 2018?



Parcial
 
 

Entrevista: José Edvaldo Rocha Rotondano
O presidente do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), desembargador José Edivaldo Rocha Rotondano, visitou sexta-feira (7), a cidade de Santo Estevão Antonio Cardoso. Foi assinar convenio junto a Prefeituras Municipais para viabilizar a estrutura para que os municípios realize o cadastramento biométrico eleitoral. Minutos antes da solenidade que ocorreu na Câmara Municipal de Antonio Cardoso, o magistrado conversou um pouco com a imprensa presente, puxado pelo site Bahia na Política:

Bahia na Política: Presidente inicialmente, saber do senhor o que lhe traz aqui a cidade de Antônio Cardoso?

Presidente do TRE: Hoje um convênio, um termo de parceria técnica de cooperação técnica a ser assinado entre a prefeitura de Antônio Cardoso e o Tribunal Regional Eleitoral para viabilizar, para incrementar e para alcançar o objetivo do município, do TRE, aliás, que é biometrizar todo eleitorado de Antônio Cardoso e para isso nós contamos com o apoio da prefeitura no sentido de auxiliar o TRE com o pessoal de apoio com espaço e com imóveis dentre outras coisas.

Leia Mais

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
Enviado por Jair Onofre - 16.05.2017 16:25h
Deputado Estadual Ângelo Almeida

'O projeto de 2018 é ganhar e nos reeleger bem'

 
Deputado Estadual Ângelo Almeida

Deputado Estadual Ângelo Almeida

Vereador, candidato a deputado estadual em 2014 pelo PT, candidato a prefeito de Feira de Santana em 2016, Ângelo Almeida, agora no PSB, assume o mandato de deputado estadual. Em um bate papo no seu gabinete, na Assembleia Legislativa da Bahia, entre um café e outro, ele fala das etapas que teve que passar na vida política eleitoral, do seu projeto de futuro e do PSB, legenda à qual está muito identificado e à vontade com a militância.

Jair Onofre: Qual a lição que ficou em relação à eleição de prefeito que o senhor participou em 2016 em Feira de Santana?

Ângelo Almeida: Olha, uma lição de que a gente tem na política e que nós aprendemos lá dentro do PT, e eu aprendi muita coisa com o PT, e certo feita ouvi do nosso mestre, amigo e companheiro padre Albertino que a política é arte do possível. Nós tentamos fazer uma movimentação inicial e essa movimentação, de cunho político, tinha o objetivo de fortalecer o partido dentro da maior cidade do interior da Bahia. Num determinado momento nós verificamos que não era viável e tentamos até recuar, mas também ficou impossível recuar diante do formato que a questão tinha tomado dentro da direção estadual do partido. Fui convencido pelos companheiros, pelos nossos dirigentes, de que deveria fazer a candidatura e fizemos. Óbvio que a conjuntura da política de 2016 em Feira que eu entendia e em pouco tempo se consolidou depois era de uma eleição cristalizada, ela iniciou cristalizada e terminou do mesmo jeito que começou. Então o aprendizado que fica é de que nós poderíamos ter endurecido no diálogo com a direção estadual, até porque ficou de chegar as contribuições para a campanha e de fato não chegaram. E ao mesmo tempo fica o outro lado da lição, que é a gente ter conhecido com mais profundidade os problemas da cidade e isso para mim é o grande legado que a gente tem, conhecer mais e melhor as coisas de Feira de Santana.

Jair Onofre: Passada a eleição de prefeito vem o mandato de deputado estadual. O senhor está há quatro meses no cargo, o que que tem a dizer desse início de mandato?

Ângelo Almeida: O mandato vem concretizar um sonho de quem lá atrás, em 2004, resolveu, com 40 anos de idade, que era hora de fazer a disputa política e buscar trabalhar com mais efetividade, de forma mais organizada na política e com uma vitória na segunda tentativa para vereador, cumprimento de um bom mandato que me tranquilizou e me criou a esperança de que poderia ser um bom representante de Feira de Santana.

Nosso papel ao chegar aqui continua sendo o mesmo, com humildade, mas sobretudo honrando o voto que recebemos do povo de minha cidade, do povo da Bahia, fora, mais de 330 municípios que votaram, somando 35.519 votos. Nós tivemos mais de um terço em Feira de Santana e em quatros meses percebemos que temos muito para contribuir com o parlamento baiano, sobretudo representando um território importante, com sede em Feira de Santana.

Jair Onofre: O senhor faz parte da base do governador Rui Costa e seu maior reduto eleitoral é Feira de Santana. O que o povo de Feira de Santana pode esperar do seu mandato?

Ângelo Almeida: Primeiro, fazer um mandato com cunho político, voltado para defender os interesses de quem mais precisa e quem mais precisa é o povo, quem mais precisa são os que menos detém o poder e precisam ter uma vida melhor, justa e equilibrada. Então nós no mandato estamos tentando construir isso, estamos tentando construir oportunidades de dialogar com movimentos sociais, como sempre fizemos, dialogar com sociedade civil organizada, montando estratégias de atuação que possam ser amplas no direcionamento efetivo do mandato. Fazer um mandato que possa honrar a nossa cidade, sobretudo a nossa vontade radical de fazer política com seriedade. Só isso, para mim, já é mais que o suficiente diante do que nós estamos convivendo hoje, com os dissabores da política. Manter essa integridade, essa vontade de fazer, de construir um mandato que seja exemplo para aqueles que estejam de fora.

Jair Onofre: O PSB, no primeiro momento, apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, posição diferente do que o senhor e o PSB da Bahia pensam. Hoje a legenda começa a se distanciar do governo Temer. É uma posição que a Bahia tem influenciado?

Ângelo Almeida: Uma posição que sempre influenciou. Pessoas menos informadas até fizeram críticas ao partido e nós dissemos lá atrás que a Bahia era foco de resistência a essa tendência de alguns setores do PSB, de marchar com este governo ilegítimo. Nós dizíamos não era hora de pensarmos de sair do PSB, pelo contrário, era hora de formarmos uma resistência na Bahia, Feira de Santana é exemplo de resistência democrática. Esse é o momento de nós exercitamos esta referência. Agora eu penso que estamos sendo brindados, com uma vitória, uma vitória nossa, da senadora Lídice da Mata, do nosso partido, do nosso deputado federal Bebeto, dos nossos deputados estaduais, da nossa militância, que vem se organizando e buscando o fortalecimento do partido. Socialismo quer dizer que cabe ao governo cuidar das pessoas e não o que o outro lado pensa, de quem tem que cuidar das pessoas é o mercado. Então, nós temos essa referência e estou muito feliz por fazer essa luta neste momento.

Jair Onofre: Por último, saber do senhor quais são seu projetos 2018 e 2020?Ângelo Almeida: Uma coisa de cada vez. Eu não tenho nenhum projeto para 2020, vamos começar de trás para a frente. É preciso consolidar uma construção política que será capaz de fazer a disputa em nossa cidade e também em diversos municípios em que nós vamos ser votados agora em 2018. O nosso projeto é construir a nossa reeleição. Acredito que ter chegado à Assembleia Legislativa com as adversidades que nós chegamos, não importa se foi no início ou no meio, mas nós chegamos, e atravessamos o percurso. Nós vemos agora, nas condições do mandato, podendo expor nossas ideias e nossas atividades, que a nossa capacidade de construção existe, é real. Vamos exercitar isso com muita humildade e muito trabalho e é isso que estamos fazendo nesse momento. Então o projeto de 2018 é ganhar. E nos reeleger bem. 

 
Comente Sem Comentários
 
 

Comentários:

 
Sem comentário para essa postagem!
 

Comente:

 

Nome:

Comentário:

 
 

 

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
 
BAN CAF CULTURA
 
REVISTAS DIFEL
 
 
TWITTER
 
LUCY REGE
 
 

2017

2016

2015

 
    Bahia na Política © Todos os direitos reservados.
www.bahianapolitica.com.br E-mail: contato@bahianapolitica.com.br
RSS
by M9 Design e Tacitus Tecnologia