Bahia na Política por Jair Onofre
 

 
 
 

Posse de arma decidido pelo presidente Jair Bolsonaro é uma saída para a segurança pública no Brasil?



Parcial
 
 

Entrevista: Empresário Flávio Rocha
“O Estado gasta com privilégios e falta o essencial”

Empresário bem sucedido, dono da rede de lojas Riachuelo, uma das maiores do Brasil, o pré-candidato à presidência da República Flávio Rocha (PRB) esteve em Feira de Santana. Em um encontro conturbado com empresários, já que sua palestra não passou de 15 minutos, falou sobre direita e esquerda e “nós contra eles”. Antes da palestra, em entrevista coletiva à imprensa, disse que o momento é de parceria dos que produzem, geram riquezas e empregos e que pagam a conta desta gigantesca farra estatal. Ele entende que próxima eleição, que é a mais importante da história do Brasil, pelo menos no período pós-democratização, é um conflito avesso a todos esses conflitos artificiais que foram gerados e que uma pequena elite da aristocracia burocrática puxa a carruagem que está em cima. Ou seja, “os conflitos do que produzem e os que parasitam na máquina estatal”.

Leia Mais

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Enviado por Jair Onofre - 09.02.2018 17:30h
Mercado financeiro

Dólar fecha acima de R$ 3,30 em novo dia de turbulências no mercado externo

 

Em mais um dia de instabilidade nos mercados internacionais, a moeda norte-americana fechou acima de R$ 3,30 pela primeira vez em pouco mais de um mês e a bolsa de valores voltou a cair. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (9) vendido a R$ 3,302, com alta de R$ 0,021 (0,65%). A cotação está no maior nível desde 28 de dezembro (R$ 3,314). (Foto ilustração)

Esse foi o terceiro dia de valorização do dólar, que acumulou alta de 2,73% na semana. A divisa tinha começado o dia estável e chegou a operar em queda por volta das 12h. No entanto, a tendência reverteu-se ao longo da tarde, e a cotação voltou a subir.

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, encerrou o dia com queda de 0,56%, aos 81.073 pontos. Nesta semana, o indicador caiu 3,53%. Em 26 de janeiro, a bolsa tinha chegou ao nível recorde de 85.531 pontos.

A sexta-feira está sendo marcada por tensões na Bolsa de Valores de Nova York. Até as 18h no Brasil (15h nos Estados Unidos), o índice Dow Jones operava com queda de 0,23%, após alternar momentos de alta e de baixa durante toda a sessão. Na segunda-feira (5), o indicador caiu 4,6%, a maior retração diária em termos percentuais desde 2011.

Desde a semana passada, os mercados financeiros de todo o mundo atravessam momentos de turbulência por causa de dados recentes da economia norte-americana. Apesar de as estatísticas recentes mostrarem que a criação de emprego superou as expectativas, o receio de que o Federal Reserve (Fed), Banco Central norte-americano, aumente os juros básicos da maior economia mundial de forma mais agressiva que o esperado provocou tensões em escala global.

Juros mais altos nos Estados Unidos estimulam os investidores a vender ações na bolsa de valores e comprar títulos do Tesouro norte-americano, considerado os papéis mais seguros do planeta. Da mesma forma, propiciam a fuga de capitais de países emergentes, como o Brasil, para cobrir prejuízos em mercados de economias avançadas. (Agência Brasil)

 
Comente Sem Comentários
 
 

Comentários:

 
Sem comentário para essa postagem!
 

Comente:

 

Nome:

Comentário:

 
 

 

 
 
 
 


União Médica

 
 
 
 
Facebook
 
 
 
BAN CAF CULTURA
 
Livro do jornalista Jnio Rego
 
CARLITO DO PEIXE
 
FABIANO DA VAN
 
PASTOR ANTNIO LIMA
 
LUCIANO SOARES
 
SINART
 
DEIBSON CAVALCANTI
 
Pazzi Povo FM
 
 
TWITTER
 
LUCY REGE
 
 

2019

2018

2017

 
    Bahia na Política © Todos os direitos reservados.
www.bahianapolitica.com.br E-mail: contato@bahianapolitica.com.br
RSS
by M9 Design e Tacitus Tecnologia