Bahia na Política por Jair Onofre
 

 
 
 

Você já tem seu candidato para presidência da República?



Parcial
 
 

Entrevista: Empresário Flávio Rocha
“O Estado gasta com privilégios e falta o essencial”

Empresário bem sucedido, dono da rede de lojas Riachuelo, uma das maiores do Brasil, o pré-candidato à presidência da República Flávio Rocha (PRB) esteve em Feira de Santana. Em um encontro conturbado com empresários, já que sua palestra não passou de 15 minutos, falou sobre direita e esquerda e “nós contra eles”. Antes da palestra, em entrevista coletiva à imprensa, disse que o momento é de parceria dos que produzem, geram riquezas e empregos e que pagam a conta desta gigantesca farra estatal. Ele entende que próxima eleição, que é a mais importante da história do Brasil, pelo menos no período pós-democratização, é um conflito avesso a todos esses conflitos artificiais que foram gerados e que uma pequena elite da aristocracia burocrática puxa a carruagem que está em cima. Ou seja, “os conflitos do que produzem e os que parasitam na máquina estatal”.

Leia Mais

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Enviado por Jair Onofre - 11.07.2018 10:00h
Oeste da Bahia

Justiça Federal em Barreiras julgará processo contra o prefeito Zito

 

Denúncia formulada pela Justiça Pública, em 20/05/2009, através do procurador Alexandre Camanho de Assis, contra o então prefeito de São Desidério, João Barbosa de Souza Sobrinho – ZITO (foto) – cujo processo tomou o nº 2009.01.00.029144-4/BA, referente crime capitulado no Art. 92 da Lei 8.666/1993 e artigo 299, parágrafo Único, do Código Penal, praticados no ano de 2002, anteriormente ao cargo hoje ocupado de Prefeito do Município de Barreiras-BA.

O Processo é egresso do TRF-1, em Brasília, pela Questão de Ordem na AÇÃO PENAL n. 937 do egrégio. Supremo Tribunal Federal que restringe as hipóteses de prerrogativa de foro pelos crimes cometidos no cargo e em função dele, por simetria, levando-se em consideração que o delito praticado se refere à investidura anterior, sem conexão com o atual cargo de gestor municipal, determino a remessa dos autos o MM. Juízo de primeira instância, competente para processar e julgar a eventual ação penal.

Nos próximos dias, pois, o processo terá seu andamento normal, com intimação das partes que dele fazem parte.

Outros gestores da região cujos processos foram remetidos ao TRF-1, logo também serão transferidos para Barreiras.


Lei nº 8.666 de 21 de Junho de 1993

Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências.

Art. 92. Admitir, possibilitar ou dar causa a qualquer modificação ou vantagem, inclusive prorrogação contratual, em favor do adjudicatário, durante a execução dos contratos celebrados com o Poder Público, sem autorização em lei, no ato convocatório da licitação ou nos respectivos instrumentos contratuais, ou, ainda, pagar fatura com preterição da ordem cronológica de sua exigibilidade, observado o disposto no art. 121 desta Lei: (Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994)

Pena – detenção, de dois a quatro anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994).

Parágrafo único. Incide na mesma pena o contratado que, tendo comprovadamente concorrido para a consumação da ilegalidade, obtém vantagem indevida ou se beneficia, injustamente, das modificações ou prorrogações contratuais.

CP – Decreto Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940
Art. 299 – Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante:

Pena – reclusão, de um a cinco anos, e multa, se o documento é público, e reclusão de um a três anos, e multa, de quinhentos mil réis a cinco contos de réis, se o documento é particular.

Parágrafo único – Se o agente é funcionário público, e comete o crime prevalecendo-se do cargo, ou se a falsificação ou alteração é de assentamento de registro civil, aumenta-se a pena de sexta parte. Falso reconhecimento de firma ou letra. (Fonte/Itapuan Cunha Editor).

 
Comente Sem Comentários
 
 

Comentários:

 
Sem comentário para essa postagem!
 

Comente:

 

Nome:

Comentário:

 
 

 

 
 
 
 


União Médica

 
 
 
 
Facebook
 
 
 
BAN CAF CULTURA
 
Livro do jornalista Jnio Rego
 
Look Pessquisas
 
Radialista Dimiclei
 
 
TWITTER
 
LUCY REGE
 
 

2018

2017

2016

 
    Bahia na Política © Todos os direitos reservados.
www.bahianapolitica.com.br E-mail: contato@bahianapolitica.com.br
RSS
by M9 Design e Tacitus Tecnologia