Bahia na Política por Jair Onofre
 

 
 
 

O Brasil deve receber ajuda internacional para o combate a incêndio na região amazônica?



Parcial
 
 

Entrevista: Empresário Flávio Rocha
“O Estado gasta com privilégios e falta o essencial”

Empresário bem sucedido, dono da rede de lojas Riachuelo, uma das maiores do Brasil, o pré-candidato à presidência da República Flávio Rocha (PRB) esteve em Feira de Santana. Em um encontro conturbado com empresários, já que sua palestra não passou de 15 minutos, falou sobre direita e esquerda e “nós contra eles”. Antes da palestra, em entrevista coletiva à imprensa, disse que o momento é de parceria dos que produzem, geram riquezas e empregos e que pagam a conta desta gigantesca farra estatal. Ele entende que próxima eleição, que é a mais importante da história do Brasil, pelo menos no período pós-democratização, é um conflito avesso a todos esses conflitos artificiais que foram gerados e que uma pequena elite da aristocracia burocrática puxa a carruagem que está em cima. Ou seja, “os conflitos do que produzem e os que parasitam na máquina estatal”.

Leia Mais

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Enviado por Jair Onofre - 23.02.2019 09:00h
Ilhéus

Servidora do município pede exoneração após ser ameaçada de morte por demitidos

 

A servidora concursada Karoline Vital Goes (foto ilustração) pediu exoneração da Prefeitura de Ilhéus após ela e sua família sofrer ameaças de ex-servidores demitidos pelo prefeito Mário Alexandre em janeiro deste ano. Karoline é uma das três pessoas que deram nome à Ação Popular que originou a sentença do juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Ilhéus, Alex Venicius Miranda.

O juiz ordenou que o prefeito Mário Alexandre exonerasse servidores admitidos sem concurso público num período entre os anos de 1983 e 1988, além dos contratados em seleção simplificada. A decisão judicial atingiu cerca de 500 servidores públicos.

Com o cumprimento da sentença, a Prefeitura de Ilhéus convocou aprovados no concurso público realizado em 2016. Karoline obteve a segunda colocação para o cargo de assistente administrativo e aguardava a convocação. A´O Tabuleiro, ela relatou que as ameaças tiveram início após isso. “Canalizaram o ódio do resultado da Ação Popular, de interesse coletivo, contra mim”, disse.

Karoline contou que começou a receber ameaças veladas até de colegas de trabalho. “Tome cuidado! Posso não fazer nada, mas alguém pode fazer…” e “o diabo não vai prevalecer, Deus vai fazer justiça. Alguém tem que pagar!” foram frases que ela escutou enquanto trabalhava.
Mas, de acordo com Karoline, a “paz acabou” quando, durante uma manifestação dos ex-servidores, ela precisou ser retirada às pressas do local de trabalho, porque algumas pessoas demonstraram a intenção de agredi-la fisicamente.

“O assessor do secretário [de Administração] me fez sair correndo da secretaria, com medo de alguém vir me agredir. Aquilo foi demais”, disse.

Karoline também revelou que uma pessoa chegou a procurá-la em seu setor para ameaçar também a sua família. “Você estava na praia da Concha com a sua família, né? Só vou te dizer uma coisa: tome cuidado! A minha doutrina não permite que eu faça nada não, mas eu sei de gente que pode fazer…”, teria dito a pessoa. Karoline é mãe de uma menina de 8 anos de idade e casada com um professor universitário.

Um Boletim de Ocorrência sobre as ameaças foi registrado pela vítima na 7ª Coorpin, em Ilhéus. O registro de uma conversa no WhatsApp, num grupo dos servidores, também foi utilizado como prova e identifica o número de telefone de duas pessoas que realizaram o crime de ameaça. A polícia Civil acompanha o caso.

Sobre o pedido de exoneração, Karoline disse que até o momento a Prefeitura Municipal de Ilhéus não oficializou a sua saída. “Estão “segurando”, falando para eu pensar bem (…) sabem que estou sendo ameaçada”, disse. Karoline não tem ido ao trabalho desde a segunda quinzena de janeiro. “Estou desnorteada. Eu sei que não fiz nada de errado. O salário e a estabilidade já não compensam mais”, desabafou.

Sobre a remuneração que recebeu mesmo após comunicar a sua saída, Karoline disse que aguarda, há dias, as orientações da Secretaria de Administração para devolver o valor. (O Tabuleiro).

 
Comente Sem Comentários
 
 

Comentários:

 
Sem comentário para essa postagem!
 

Comente:

 

Nome:

Comentário:

 
 

 

 
 
 
 


 
 
 
 
Facebook
 
 
 
BAN CAF CULTURA
 
Livro do jornalista Jnio Rego
 
Pazzi Povo FM
 
Iau - cavalgada
 
 
TWITTER
 
LUCY REGE
 
 

2019

2018

2017

 
    Bahia na Política © Todos os direitos reservados.
www.bahianapolitica.com.br E-mail: contato@bahianapolitica.com.br
RSS
by M9 Design e Tacitus Tecnologia