Bahia na Política por Jair Onofre
 

 
 
 

O Brasil deve receber ajuda internacional para o combate a incêndio na região amazônica?



Parcial
 
 

Entrevista: Empresário Flávio Rocha
“O Estado gasta com privilégios e falta o essencial”

Empresário bem sucedido, dono da rede de lojas Riachuelo, uma das maiores do Brasil, o pré-candidato à presidência da República Flávio Rocha (PRB) esteve em Feira de Santana. Em um encontro conturbado com empresários, já que sua palestra não passou de 15 minutos, falou sobre direita e esquerda e “nós contra eles”. Antes da palestra, em entrevista coletiva à imprensa, disse que o momento é de parceria dos que produzem, geram riquezas e empregos e que pagam a conta desta gigantesca farra estatal. Ele entende que próxima eleição, que é a mais importante da história do Brasil, pelo menos no período pós-democratização, é um conflito avesso a todos esses conflitos artificiais que foram gerados e que uma pequena elite da aristocracia burocrática puxa a carruagem que está em cima. Ou seja, “os conflitos do que produzem e os que parasitam na máquina estatal”.

Leia Mais

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Enviado por Jair Onofre - 10.07.2019 17:15h
Senado Federal

Oriovisto defende imparcialidade do Conselho Nacional do Ministério Público

 

O senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR - foto) criticou nesta quarta-feira (10), em Plenário, a postura de alguns senadores durante a reunião de terça-feira da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ), que sabatinou três indicados para o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

O parlamentar acusou seus pares de exigirem um posicionamento dos entrevistados a respeito das atitudes do procurador da República Deltan Dallagnol. No entender do parlamentar, os sabatinados emitirem opinião de um julgamento que ainda nem se sabe se existirá, pode ser interpretado como uma trama para influenciar politicamente o conselho.

— Os senadores enumeraram todos os delitos, que eles entendiam ter sido cometidos por Deltan Dallagnol, e perguntavam aos candidatos ao CNMP, como eles votariam. Eu pedi que não respondessem àquela pergunta, porque era uma coisa absurda, tentar fazer com que candidatos antecipassem opinião de mérito a respeito de um colega que futuramente eles poderiam julgar por eventual falta profissional cometida — disse. (Agência Senado)

 
Comente Sem Comentários
 
 

Comentários:

 
Sem comentário para essa postagem!
 

Comente:

 

Nome:

Comentário:

 
 

 

 
 
 
 


 
 
 
 
Facebook
 
 
 
BAN CAF CULTURA
 
Livro do jornalista Jnio Rego
 
Pazzi Povo FM
 
Iau - cavalgada
 
 
TWITTER
 
LUCY REGE
 
 

2019

2018

2017

 
    Bahia na Política © Todos os direitos reservados.
www.bahianapolitica.com.br E-mail: contato@bahianapolitica.com.br
RSS
by M9 Design e Tacitus Tecnologia