Bahia na Política por Jair Onofre
 

 
 
 

O presidente Jair Bolsonaro deve deixar o PSL, partido que foi eleito?



Parcial
 
 

Entrevista: Empresário Flávio Rocha
“O Estado gasta com privilégios e falta o essencial”

Empresário bem sucedido, dono da rede de lojas Riachuelo, uma das maiores do Brasil, o pré-candidato à presidência da República Flávio Rocha (PRB) esteve em Feira de Santana. Em um encontro conturbado com empresários, já que sua palestra não passou de 15 minutos, falou sobre direita e esquerda e “nós contra eles”. Antes da palestra, em entrevista coletiva à imprensa, disse que o momento é de parceria dos que produzem, geram riquezas e empregos e que pagam a conta desta gigantesca farra estatal. Ele entende que próxima eleição, que é a mais importante da história do Brasil, pelo menos no período pós-democratização, é um conflito avesso a todos esses conflitos artificiais que foram gerados e que uma pequena elite da aristocracia burocrática puxa a carruagem que está em cima. Ou seja, “os conflitos do que produzem e os que parasitam na máquina estatal”.

Leia Mais

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Enviado por Jair Onofre - 30.08.2019 10:03h
Feira de Santana

População aprova atuação dos monitores de trânsito

 
Foto Secom

A cidade de Feira de Santana possui um trânsito pujante e dinâmico, chegando a registrar um fluxo superior a 300 mil veículos por dia em suas ruas e avenidas. Com apenas duas semanas em funcionamento, o projeto dos Monitores de Trânsito já vem colhendo bons resultados, além da aprovação por parte da população.

A iniciativa do Governo do prefeito Colbert Martins Filho, através da Superintendência Municipal de Trânsito, está em ação desde o último dia 12 de agosto com o apoio de cerca de 25 monitores, os quais atuam em diversas faixas de pedestre da cidade. Os monitores também atuarão em frente às escolas públicas com maior movimento em horário de pico do trânsito, em feiras livres e em ações e eventos que versam sobre educação de trânsito, como os programas Via Livre - Educação para Seguir, Rua Viva, etc.

O principal objetivo deste trabalho é promover maior segurança e prestar educação no trânsito com orientações, realizando exclusivamente um trabalho preventivo e de conscientização sobre as regras de trânsito. Em consequência, promover um trabalho de colaboração com os Agentes, transformando comportamentos e desenvolvendo valores e atitudes que promovam um trânsito mais humano e cidadão.

A costureira Janete Santana de 51 anos frequenta bastante o centro da cidade em busca do material necessário ao seu trabalho. Para ela, a presença dos monitores influência no comportamento dos motoristas e motociclistas. “Na hora que vamos atravessar uma avenida larga como a Senhor dos Passos, nem sempre os motoristas e motoqueiros têm paciência. Com a presença dos monitores eles são obrigados a nos respeitar mais, em consequência disso acabam mudando seu comportamento, obedecendo as leis de trânsito”, afirma.

A vendedora de beijus Daiane Silva dos Santos, 28 anos, fica sempre na região da Senhor dos Passos, próximo da Praça Bernadino Bahia, percebeu diferença desde a atuação dos monitores nas faixas de pedestre. “Alguns pedestres insistem em não usar a faixa, alguns motoristas também passam em alta velocidade, tenho visto diferença no comportamento de todos, isso vem dando mais segurança. Já vi muitos acidentes por aqui, desde então não vi mais”, comenta.

Já para o vendedor Jackson Nunes, 46, e trabalha na lanchonete do ponto do Predileto há 22 anos, acredita que a mudança já é evidente, mas é necessário mais tempo para uma mudança de comportamento. “O trânsito aqui sempre foi bastante cheio, a travessia das pessoas sempre foi arriscada, acho que o trabalho dos monitores ajuda bastante, mas acho que precisa de mais tempo para a população se adaptar”, acredita.

Vanda Carvalho, 81 anos, moradora de Conceição da Feira, frequenta Feira de Santana semanalmente para buscar serviços de saúde, comércio e passear. Acostumada com a calmaria de uma cidade pequena como a da sua origem, a travessia de grandes avenidas em Feira sempre é um desafio. “Desde que vi esses monitores trabalhando na rua me senti mais segura para atravessar. Na minha idade, atravessar a rua apressada é sempre arriscado, mas com os monitores me sinto bastante segura. Achei a iniciativa deste trabalho excelente, porque além de pensar na população, educa a todos”, ressalta.

Maria José Brandão, de 75 anos e também moradora da cidade de Conceição da Feira, ressalta que este trabalho é um exemplo para todas as cidades. “A educação no trânsito deve acontecer em cidades de qualquer porte. Para nós isso é um bom exemplo”, diz.

Outro local com fluxo intenso o qual os monitores vêm trabalhando é a Avenida Fraga Maia, principalmente entre os horários das 18h às 20h, quando o fluxo de veículos, pedestres e esportistas (ciclistas, clubes de corrida, etc), costumam movimentar bastante o trecho.

A moradora do bairro Mangabeira, Tereza Cristina Santana, acredita que a presença dos monitores é uma iniciativa bastante positiva. “Acho importante a presença deles nesta Avenida, até porque esse horário o trânsito aqui é muito intenso. Eu como moradora do local achei muito interessante e parabenizo pela iniciativa”.

Ana Lucia Coelho, é mineira mas mora em Feira de Santana há 2 anos, na região da Fraga Maia. Ela relata as dificuldades que sempre teve para atravessar a Avenida e como a ação dos monitores vem ajudando nesta rotina. “Uma coisa que sempre me impressionou foi justamente a falta de educação dos motoristas de Feira de Santana, a ponto de entenderem que a prioridade é o pedestre. Já passei por situações difíceis, tomando chuva esperando muito tempo para atravessar. Já teve situação em que precisei me atirar na faixa, me arriscar para que os motoristas parassem para conseguir atravessar. Quando a Prefeitura decidiu colocar esses monitores aqui na Avenida, melhorou consideravelmente a segurança para a travessia dos pedestres, principalmente nos horários de pico. Agora em questão de segundos consigo atravessar. Espero que a Prefeitura amplie esta ação para outras grandes Avenidas da cidade”, reflete.

O professor Ygor Klain acredita que pelo grande movimento da Avenida, os monitores poderiam atuar durante o dia todo. “O que acontece na Fraga Maia é fruto de uma falta de educação no trânsito de uma forma geral, nossos somos educados na auto escola que uma faixa de pedestre deve ser respeitada por todo motorista, principalmente porque o pedestre está sujeito aos intemperes do tempo. Com os monitores facilitou muito, mas acredito que atuar apenas nos horários de pico não é suficiente, porque esta é uma Avenida bastante movimentada durante o dia todo”, comenta.

De acordo com o superintendente Municipal de Trânsito, Mauricio Carvalho, a SMT tem procurado priorizar ações e projetos ligados ao segmento de educação para o trânsito. "Este projeto atende a um anseio da sociedade, principalmente em relação ao monitoramento das faixas de pedestres. Os monitores complementam as ações dos agentes de trânsito e é uma experiência que vem dando certo, com bons resultados em diversos municípios brasileiros. Reverter recursos das multas em projetos desta natureza mostram o compromisso da Prefeitura de Feira de Santana com um trânsito melhor e mais seguro". (Secom) 

 
Comente Sem Comentários
 
 

Comentários:

 
Sem comentário para essa postagem!
 

Comente:

 

Nome:

Comentário:

 
 

 

 
 
 
 


 
 
 
 
Facebook
 
 
 
BAN CAF CULTURA
 
Livro do jornalista Jnio Rego
 
Pazzi Povo FM
 
LADO A LADO COM VOC
 
 
TWITTER
 
LUCY REGE
 
 

2019

2018

2017

 
    Bahia na Política © Todos os direitos reservados.
www.bahianapolitica.com.br E-mail: contato@bahianapolitica.com.br
RSS
by M9 Design e Tacitus Tecnologia