Bahia na Política por Jair Onofre
 

 
 
 

Você acredita que o Brasil terá a vacina contra o COVID - 19 ainda em 2020



Parcial
 
 

Entrevista: Empresário Flávio Rocha
“O Estado gasta com privilégios e falta o essencial”

Empresário bem sucedido, dono da rede de lojas Riachuelo, uma das maiores do Brasil, o pré-candidato à presidência da República Flávio Rocha (PRB) esteve em Feira de Santana. Em um encontro conturbado com empresários, já que sua palestra não passou de 15 minutos, falou sobre direita e esquerda e “nós contra eles”. Antes da palestra, em entrevista coletiva à imprensa, disse que o momento é de parceria dos que produzem, geram riquezas e empregos e que pagam a conta desta gigantesca farra estatal. Ele entende que próxima eleição, que é a mais importante da história do Brasil, pelo menos no período pós-democratização, é um conflito avesso a todos esses conflitos artificiais que foram gerados e que uma pequena elite da aristocracia burocrática puxa a carruagem que está em cima. Ou seja, “os conflitos do que produzem e os que parasitam na máquina estatal”.

Leia Mais

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Enviado por Jair Onofre - 15.09.2020 11:38h
Sul Baiano

Demitidos de Ilhéus perdem no STF

 

O Supremo Tribunal Federal negou o retorno dos cerca de 380 servidores dispensados pela gestão do prefeito Mário Alexandre Souza, o Marão, em Ilhéus. Os servidores foram admitidos sem concurso público nos cinco anos anteriores à promulgação da Constituição Federal de 1988. (Foto ilustração: prefeitura de Ilhéus)

Em sessão virtual no dia 8 de setembro, o STF, por unanimidade, negou provimento a um agravo regimental que tentava reverter as demissões. Não participou deste julgamento, por motivo de licença médica, Celso de Mello. Dessa forma, fica mantida a sentença do juiz Alex Venícius Miranda, da Vara da Fazenda Pública de Ilhéus.

No voto, Dias Toffoli disse que “ingressaram nos quadros públicos anteriormente ao advento da Constituição Federal de 88, sem concurso público e sem atendimento ao quinquênio exigido pelo art. 19 dos Atos das Disposições Constitucionais Transitórias - ADCT, para fins de aquisição de estabilidade.”

Ele acrescenta que os servidores entraram na Prefeitura "exatamente no quinquênio em que a Carta Magna já não conferiu o direito excepcional acima mencionado [estabilidade]: entre 5 de outubro de 1983 e 5 de outubro de 1988”. Depois desta decisão do STF não cabe mais recurso. (aregiao)

 
Comente Sem Comentários
 
 

Comentários:

 
Sem comentário para essa postagem!
 

Comente:

 

Nome:

Comentário:

 
 

 

 
 
 
 


 
 
 
 
Facebook
 
 
 
BAN CAF CULTURA
 
Livro do jornalista Jnio Rego
 
Pazzi Povo FM
 
Jair Onofre - Alvorada Sertaneja
 
Genesio Serafim - Loja de vete
 
 
TWITTER
 
LUCY REGE
 
 

2020

2019

2018

 
 
    Bahia na Política © Todos os direitos reservados.
www.bahianapolitica.com.br E-mail: contato@bahianapolitica.com.br
RSS
by M9 Design e Tacitus Tecnologia